Tratamento

Eliminação da Dor

A dor crónica reduz consideravelmente a qualidade de vida dos doentes. Assim, o objectivo da terapêutica da dor crónica tem de ser a supressão da dor ou, se tal for impossível, iniciar o tratamento suficientemente cedo para prevenir o desenvolvimento da denominada “memória da dor”. A designação “memória da dor” descreve o fenómeno da persistência da dor apesar de a lesão já estar curada.

Devido à sua complexidade, a dor crónica requer abordagens diferenciadas e complementares, como tratamento físico e psicológico e terapêutica farmacológica. Isto inclui uma gama alargada de medicamentos para alívio da dor (analgésicos). Dependendo da gravidade da dor, estão disponíveis tipos diferentes de analgésicos. São utilizados medicamentos não-opióides para o tratamento da dor ligeira. Estes são também denominados “analgésicos de acção periférica”, pois apresentam predominantemente efeitos periféricos. Para dor mais grave, podem ser utilizados medicamentos opióides, que também são denominados “analgésicos de acção central” (CAA), uma vez que apresentam principalmente efeito central (no cérebro ou medula espinal). Além disso, são utilizados analgésicos adjuvantes, quando tal for adequado. Os analgésicos adjuvantes são medicamentos cuja indicação principal não é o alívio da dor, contudo demonstram alguns efeitos analgésicos (por exemplo, antidepressores).

Adicionalmente, o controlo da dor pode ser apoiado por abordagens não farmacológicas como estimulação nervosa eléctrica transcutânea (TENS), acupunctura ou hipnose.