Diagnóstico

Factores biológicos, psicológicos e sociais

A gestão efectiva da dor requer uma avaliação exacta da dor. Como a dor crónica é um fenómeno complexo, avaliá-la numa perspectiva unidimensional biológica é limitante e, habitualmente, insuficiente para explicar completamente os sintomas do doente. Um diagnóstico adequado requer a análise de factores psicológicos e sociais para além das causas biológicas. Os elementos-chave incluem:

  • Realização de um exame físico completo, incluindo a avaliação da história clínica do doente
  • Avaliação da localização, gravidade, qualidade, início e factores de agravamento ou alívio da dor
  • Utilização de procedimentos de diagnóstico específicos como raios X ou exames ósseos
  • Avaliação dos factores sociopsicológicos que podem ter contribuído para a dor

Ferramentas para avaliação da dor

Várias ferramentas estão disponíveis para identificação e medição da dor. Para uma avaliação rápida e simples da gravidade da dor, podem ser utilizadas escalas de dor validadas. São baseadas em relatos do próprio doente, dando aos médicos uma boa ideia da percepção da dor por parte dos doentes. São utilizadas muito frequentemente as seguintes escalas nos adultos:

  • Escala Visual Analógica: pede-se aos doentes para classificar a intensidade da sua dor numa escala de dor com um extremo a indicar “sem dor” e o extremo oposto a indicar “dor máxima imaginável”.
  • Escala de classificação numérica: pede-se aos doentes para identificar o grau de dor que têm através da escolha de um número entre 0 (“sem dor”) e 10 (“a pior dor”).